Carta de repúdio à postagem da deputada Carla Zambelli


A Rede Mundial de Pessoas que Vivem e Convivem com HIV repudia veementemente a publicação da deputada Carla Zambelli (PSL-SP) que, por meio de sua rede social associou a ação rápida e formidável do Youtuber Felipe Neto (que distribuiu gratuitamente livros com temática LGBTQI+ na Bienal do Livro) e o beijo entre dois homens com o aumento no número de pessoas infectadas pelo HIV.


A postagem demonstra completo desprezo pelas mais de 800 mil pessoas que lutam diariamente contra o vírus da aids e comprova o desconhecimento e preconceito acerca da infecção e da epidemia, assim como das leis vigentes que criminaliza a homofobia como crime de racismo (Lei nº 7.716/1989) e protege as pessoas que vivem com HIV de qualquer tipo de ataque ou ofensa (Lei n° 12.984/2014).


É importante ressaltar que desde o início da epidemia de aids no Brasil, nos anos 80, houveram avanços significativos na prevenção, diagnóstico e tratamento dessa que ainda se mantém como a mais estigmatizada das infecções e doenças crônicas. Porém, a política construída nesses mais de 35 anos corre sérios riscos com o desmonte da política de aids e tentativas constantes de enfraquecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Ainda assim, a mais grave das doenças continua sendo a desinformação e o preconceito, que é fortalecido a cada manifestação discriminatória e estigmatizada proferida por formadores de opinião.


É verdade que o HIV atinge de modo desproporcional certas populações como os gays, travestis e transexuais, mas isso se deve à falta de uma educação sexual adequada e ao preconceito que segrega e impede o acesso à saúde e outros direitos básicos fundamentais dessas populações. É inadmissível que uma figura pública como a deputada Carla Zambelli use de uma rede social para explicitar todo o seu preconceito, extrapolando seu direito de livre pensamento e atacando os LGBTQI+ e as milhares de pessoas que vivem com o HIV no Brasil.

91 visualizações

Redes sociais e contato

  • YouTube
  • Fanpage
  • Instagram
  • Twitter
  • WhatsApp

©2012 por Rede Mundial de Pessoas que Vivem e Convivem com HIV