Os cristãos e a falta de empatia

A todos os Cristãos,

A matéria sobre as travestis e mulheres trans no cárcere, apresentado recentemente no Fantástico, foi uma daquelas matérias que enchem o coração de esperança das pessoas que ainda acreditam no ser humano como agentes de transformação. Inúmeros veículos noticiaram sobre uma cena comovente em que o entrevistador e médico Drauzio Varella tinha uma conversa franca com a travesti Suzy e lhe dá um abraço, sensibilizado pela solidão que ela sentia. Porém, a cena não agradou a todas as pessoas que começaram um movimento na disseminação de notícias sobre o passado sombrio de Suzy. Afirmaram que ela foi condenada por estuprar e matar por estrangulamento uma criança de apenas nove anos. Todos os textos são claros sobre os absurdos em se sentir compaixão ou qualquer tipo de afeto por uma pessoa "lixo", "aberração", "desgraça" como aquela.

Bem, independentemente do(s) crime(s) cometido(s) por Suzy, gostaria de trazer algumas perguntas para os cristãos que estiverem lendo este texto: (1) O perdão deve ser seletivo? (2) A compaixão deve ser seletiva? (3) A empatia deve ser seletiva? (4) O amor deve estar condicionado a quem amamos?

A reportagem não falava sobre o julgamento que as mulheres presas tinham passado. Não falava dos crimes que elas haviam cometido. Sabe por quê? Porque este não era o objetivo da matéria. Queriam mostrar como viviam mulheres trans fora das ruas, mas presas dentro de ambientes que, apesar de serem hostis, eram mais seguros que conviver na sociedade. Aliás, sobre os juízes do Facebook, na Bíblia, o livro sagrado dos Cristãos, em Mateus 7:1-5, está escrito "Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois a mesma medida que usarem, também será usada para medir vocês. Por que você repara o cisco no olho do seu irmão, mas não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao outro o que há de errado com ele se há algo muito maior dentro de você? Hipócrita! Tire primeiro a viga do teu olho e, então, você poderá dizer o que está no olho dos outros.". Ou seja, que atire a pedra quem não tem nenhum pecado. Suzy está cumprindo a pena que foi determinada pela justiça. Em qual parte da Bíblia, Deus deu a seus seguidores a autorização para julgar que Suzy não é merecedora de compaixão?

Sobre o abraço solidário dado por Drauzio, há também em Mateus 5:43-48, "amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, pois só assim vocês serão reconhecidos como filhos do Pai. Porque amar os que lhe amam e saudar apenas aqueles que lhe saúdam, é muito fácil. Tentem fazer o que o próprio Deus faria." Simplificando, ame e pessoa, independente de quem ela seja. Em Zacarias 7:9-10, "o Senhor disse aos exércitos: sejam agentes da verdadeira justiça, mostrem misericórdia e compaixão uns para com os outros". Em Pedro 3:8-9, "tenham compaixão, amem-se fraternalmente, sejam misericordiosos e humildes. Não retribuam o mal com o mal, nem insultos com insultos; ao contrário, desejem o bem para os outros."

O crime da Suzy não está em discussão. O que está em discussão é a sua capacidade de amar e de seguir o que o Deus que você acredita ensinou. Enquanto religiosos pregam a rejeição, desprezo, abandono, morte e aniquilação de outro ser humano, o ateu Drauzio Varella e eu, um cara sem religião, estamos aqui tentando, indiretamente, te ensinar que amar incondicionalmente é um ensinamento Bíblico, mas, acima de tudo, é uma questão de humanidade e não de justiça.

63 visualizações

Redes sociais e contato

  • YouTube
  • Fanpage
  • Instagram
  • Twitter
  • WhatsApp

©2012 por Rede Mundial de Pessoas que Vivem e Convivem com HIV