Você deve ou não deve usar a PrEP (profilaxia pré exposição)

Atualizado: 5 de Mai de 2019


A Profilaxia Pré-exposição (PrEP) ao vírus da imunodeficiência humana, o HIV, é uma estratégia de prevenção que envolve a utilização de um medicamento antirretroviral (ARV), por pessoas não infectadas, para reduzir o risco de aquisição do HIV através de relações sexuais. O medicamento bloqueia o ciclo da multiplicação desse vírus, impedindo a infecção do organismo.


Os resultados dos estudos de PrEP indicam que essa estratégia de prevenção pode ser extremamente útil para a mudança de cenário necessária no combate  a infecção pelo vírus HIV.


A PrEP consiste no uso diário de um comprimido formado por Entricitabina e Tenofovir e sua eficácia foi demonstrada entre homens que fazem sexo com homens (HSH) e pessoas heterossexuais. Intervenções de prevenção como a PrEP, têm um grande potencial, especialmente se combinadas a testagem anti-HIV frequente (mensal ou trimestral), diagnóstico e vinculação ao tratamento daqueles identificados como infectados pelo vírus.


É bom lembrar que para receber gratuitamente a profilaxia, os interessados devem fazer parte das populações que são mais afetadas pelo HIV e aderirem a um programa que inclui visitas ao médico, realização de exames e retirada dos comprimidos de três em três meses. Inicialmente, a PrEP será ofertada para as seguintes populações:

  • trabalhadoras e trabalhadores sexuais;

  • parceiros sexuais de pessoas que vivem com HIV (casais sorodiferentes);

  • travestis e mulheres transexuais.

Quem não se encaixar nos critérios do Sistema Único de Saúde, mas desejar ter acesso à PrEP, deve se dirigir a um médico da rede pública ou privada, informar que deseja tomar os comprimidos. O médico deve informar sobre como funciona o programa de PrEP e deve dar uma receita, que será usada para comprar os comprimidos em sites especializados. O tratamento para um mês custa em torno de R$ 290 mais o frete.


É bom lembrar que a PrEP protege o indivíduo apenas do HIV. Outras muitas infecções sexualmente transmissíveis podem ser adquiridas. Por isso, é sempre indicado o uso da camisinha, principalmente em relações sexuais ocasionais.



VEJA A LISTA COM OS SERVIÇOS QUE OFERTAM A PREP


Acesse AQUI a lista dos serviços públicos que ofertam a PrEP em todo o país.


PERGUNTAS E RESPOSTAS


Qual medicamento é utilizado como PrEP no Brasil? Até o presente momento, o medicamento que se mostrou mais eficaz na prevenção é o que combina dois antirretrovirais, o tenofovir e a emtricitabina em um único comprimido. Hoje sabemos que, se a pessoa tomar este medicamento todos os dias, a proteção contra o HIV chega próximo de 100%.


O que é PrEP?

"PrEP" é a Profilaxia Pré-Exposição ao HIV. A palavra "profilaxia" significa prevenir ou controlar a disseminação de uma infecção ou doença. O objetivo da PrEP é prevenir a infecção pelo HIV, caso ocorra exposição ao vírus. Isto é feito tomando diariamente uma pílula que contém 2 medicamentos (tenofovir + entricitabina).


Como a PrEP funciona? A medicação usada para PrEP é uma combinação de 2 drogas, o tenofovir e a entricitabina. Estes medicamentos funcionam bloqueando alguns “caminhos” que o HIV usa para infectar seu organismo. Se você tomar PrEP diariamente, a medicação pode impedir que o HIV se estabeleça e se espalhe em seu corpo. Se você não tomar os comprimidos todos os dias, pode não haver concentração suficiente do medicamento em sua corrente sanguínea para bloquear o vírus.


Por que tomar a PrEP? No Brasil, cerca de 40 mil pessoas são infectadas pelo HIV a cada ano. A epidemia de HIV tem afetado desproporcionalmente alguns grupos de pessoas, mais do que outros.  A PrEP é mais uma opção de prevenção para que as pessoas se protegerem do vírus causador da aids.


Se eu uso a PrEP, eu não preciso mais usar camisinha?

Esse é um ponto muito importante a ser esclarecido. Na prevenção precisamos combinar métodos. É a combinação de métodos que permite alcançar o maior nível de proteção. A PrEP deve ser utilizada adicionalmente ao uso do preservativo. É uma proteção adicional. A PrEP, por exemplo, ao contrário da camisinha, não protege de outras infecções transmitidas pelo sexo, como a sífilis, gonorreia e as hepatites virais, para citar apenas alguns exemplos. Por isso, a PrEP não deve ser usada como um substituto do preservativo e, sim, como um método adicional de prevenção do HIV para aquelas pessoas que apresentam um risco aumentado de adquirir a infecção.


A PrEP previne outras infecções sexualmente transmissíveis (IST)? O uso da PrEP não previne outras IST como sífilis, gonorreia e clamídia. Por isso é importante usar camisinha mesmo em uso de PrEP.


Qual a diferença entre PEP e PrEP? A Profilaxia pós-exposição (PEP), é dada a indivíduos após uma possível exposição ao HIV. Se administrada em até 72 horas da exposição ao HIV, a PEP já se mostrou capaz de reduzir o risco de infecção pelo HIV, porém não é uma substituta para outras estratégias de prevenção do HIV. Na Profilaxia pré exposição (PrEP), um indivíduo toma um medicamento para o tratamento do HIV como prevenção à infecção. O único medicamento recomendado atualmente é o a mistura de Tenofovir e Entricitabina em um único comprimido.


PrEP é uma vacina? Não. A PrEP não é injetável e não funciona da mesma forma que uma vacina. Atualmente não existem vacinas disponíveis para prevenir o HIV, apesar da luta incessante dos cientistas.


Qual a forma mais comum de transmissão do HIV? As relações anais sem camisinha. Quem recebe o pênis no ânus está sob risco maior de adquirir o HIV do que a pessoa que insere o pênis, mas as duas são práticas de alto risco. O contato direto do líquido da ejaculação com o ânus aumenta ainda mais o risco.


A eficácia da PrEP pode ser comprometida se eu deixar de tomar um ou dois comprimidos? Se você tomar a PrEP diariamente, a presença do medicamento em sua corrente sanguínea poderá frequentemente impedir a infecção pelo HIV e a disseminação deste vírus pelo seu corpo. Se você não tomar o medicamento todos os dias, pode ser que você não tenha medicamento o suficiente no sangue para impedir a contaminação. A PrEP deve ser tomada diariamente para se obter a melhor proteção contra o HIV.


Será que o uso da PrEP pode causar transmissão de HIV resistente aos medicamentos? De acordo com resultados do estudo IPrEX, o uso da Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) não envolve um risco significativo de resistência à medicação, caso ocorra uma infecção pelo HIV, mesmo se usada de forma inconsistente.


Se eu tomar a PrEP posso parar de usar preservativos quando tiver relações sexuais? Você não deve parar de usar preservativos porque está tomando a PrEP. Se a PrEP for tomada diariamente, lhe protegerá contra a infecção pelo HIV, mas não 100%. Os preservativos também oferecem uma grande proteção. A PrEP não lhe protege de outras infecções sexualmente transmissíveis (tais como sífilis, clamídia e gonorreia), mas a camisinha previne. Então, você terá mais proteção contra o HIV e outras infecções sexuais se você tomar a PrEP diariamente e usar preservativos durante as relações sexuais.


PrEP já foi testada? Sim, diversos estudos mostraram que a PrEP reduz o risco de contrair o HIV. A PrEP foi testada em vários estudos com homens que fazem sexo com homens, homens que fazem sexo com mulheres e mulheres que fazem sexo com homens. Todas as pessoas nestes estudos: (1) fizeram teste de HIV no início da pesquisa para ter certeza de que não estavam infectados pelo HIV; (2) concordaram em tomar um comprimido de PrEP diariamente; (3) receberam orientações sobre sexo-seguro; (4) foram testados regularmente para infecções sexualmente transmissíveis (IST) e (5) receberam preservativos regularmente.


1. Os homens que fazem sexo com homens que receberam PrEP tiveram, em média, 44% menos chances de adquirir a infecção pelo HIV. Entre os homens que disseram ter tomado a maioria dos medicamentos diariamente, PrEP reduziu o risco de infecção pelo HIV em 73%, em alguns casos chegando até 92%, dependendo da adesão ao medicamento.

2. Entre os casais sorodiferentes de homens e mulheres (onde um parceiro tinha HIV e o outro não), aqueles que receberam PrEP tiveram 75% menos chance de serem infectados. Entre aqueles que disseram ter tomado a maioria dos comprimidos diários, a PrEP reduziu o risco de infecção pelo HIV em até 90%.


PrEP é segura? Os estudos indicam que é seguro tomar a PrEP. Algumas pessoas tiveram efeitos colaterais, como uma dor de estômago ou perda de apetite, mas estes foram leves e geralmente passaram no primeiro mês. Algumas pessoas também tiveram uma leve dor de cabeça. Não foram observados outros efeitos adversos graves. Se você iniciar a PrEP, deve informar seu médico se sentir esses ou outros sintomas de forma grave ou não se eles não passarem.


Quando a PrEP começa a fazer efeito no meu organismo e a me proteger do HIV? Se você faz sexo anal, PrEP leva 07 (sete) dias para lhe proteger do HIV. Por isso, espere esse tempo para alcançar a proteção ideal do medicamento nessa região do corpo.

No tecido vaginal o medicamento demora mais para alcançar a concentração ideal de proteção. Por isso, se estiver começando a tomar PrEP hoje, espere 21 dias para ter as relações vaginais.  


Terei que tomar PrEP para sempre? Não. Você deve discutir este assunto com seu médico. Há vários motivos que fazem as pessoas pararem de tomar a PrEP. Se o risco de contrair infecções pelo HIV diminuir por causa das mudanças que ocorrem


A PrEP vai estimular o sexo sem proteção? No estudo iPrEX não houve evidência de compensação de risco sexual. Os participantes que recebiam a PrEP tinham mais parceiros sexuais antes de iniciar a medicação, sugerindo que o comportamento sexual de risco não era consequência do uso de PrEP.


Quem poderá usar a PrEP?

1. Pessoas que mantêm relacionamento sorodiferente, ou seja, que se relacionam afetivo/sexualmente com pessoas vivendo com HIV (PVHIV)

2. Homens que fazem sexo com outros homens, pessoas *trans e trabalhadoras(es) sexuais que tiveram:

     2.1. relação sexual anal (ativo ou passivo) ou vaginal, sem uso de camisinha, nos últimos seis meses;      2.2. que tiveram episódios recorrentes de infecções sexualmente transmissíveis (IST);      2.3. que fizeram uso repetido de profilaxia pós-exposição (PEP).


Como posso começar a PrEP? Se você acha que pode ter alto risco para adquirir o HIV, fale com um profissional de saúde sobre a PrEP. Se você e o profissional concordarem que a PrEP pode lhe ajudar a se prevenir, será necessário fazer o teste anti-HIV, exames de infecções sexualmente transmissíveis (IST) e checar se seus rins e fígado estão funcionando bem, por meio de um exame de sangue. Se estes exames estiverem em boas condições, você poderá usar a PrEP.


Usar a PrEP vai demandar que você faça visitas regulares ao serviço de saúde, realize exames de acompanhamento para ver se seu organismo está reagindo bem aos medicamentos e busque sua medicação a cada três meses. Você deve tomar o comprimido todos os dias como prescrito e os profissionais de saúde irão orientá-lo/a sobre a melhor maneira de lembrar de tomá-lo regularmente. Informe-os se você tiver problemas para lembrar de tomar o medicamento ou se você quiser parar de usar a PrEP.


Posso iniciar a PrEP após ter tido contato com o HIV? A PrEP é apenas para pessoas que vivem constantemente em momentos de risco significativo de infecção pelo HIV. Para pessoas que precisam se prevenir da infecção pelo vírus HIV após um único evento de exposição de risco, tal como sexo sem proteção, compartilhamento de seringas ou agulhas e, ainda, estupro. Para esses casos existe uma opção chamada de PEP, que deve ser iniciada em até 72 horas após a exposição de risco.


A PrEP também é indicada para mulheres? Sim, Para mulheres heterossexuais que não usam preservativos regularmente nas relações sexuais com parceiros que desconhecem se têm HIV e estão em alto risco de contrair HIV. Por exemplo: parceiro é usuário de drogas injetáveis ou parceiro é bissexual do sexo masculino ou é trabalhadoras sexuais.


Terei que pagar para usar a PrEP? Não. A PrEP será oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para todas as pessoas que estiverem em risco real para o HIV.

DOCUMENTOS E TEXTOS DE REFERÊNCIA



Fontes:

1. PrEP Brasil

3. Lado Bi

36,396 visualizações

Redes sociais e contato

  • YouTube
  • Fanpage
  • Instagram
  • Twitter
  • WhatsApp

©2012 por Rede Mundial de Pessoas que Vivem e Convivem com HIV